Com aspecto fino e sem brilho, combinado com toque áspero, a pele seca fica ainda mais vulnerável à desvitalização com a oscilação de temperatura, típica da transição do inverno para a primavera. Se no dia a dia não forem respeitas suas particulares, ela tende a ficar irritada e envelhecer precocemente. Isso ocorre devido ao ressecamento facilitado pela baixa produção de glândulas sebáceas, um caminho direto para o surgimento de rugas e manchas.
Limpeza
A pele seca exige o uso de produtos mais suaves e neutros, de preferência em formato líquido ou cremoso, que não prejudicam a barreira lipídica - camada fina de gordura que protege a pele, e que neste caso é deficiente. “Sabonetes abrasivos, com ácidos ou enxofre, não são indicados, pois aumentam a desidratação”, explica Tatiana Jerez, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).










Hidratação
É o passo mais importante para esse tipo de pele. “Fórmulas que contenham agentes hidratantes, emolientes, silicones e óleos naturais são os mais indicados e devem ser aplicados logo após o banho, pois os poros abertos permitem maior absorção dos ativos”, explica Letícia Sabo, dermatologista da Clínica Vivid, de São Paulo.
Verifique os rótulos, pois as melhores escolhas são os produtos que contêm ceramidas, pantenol, ureia, lactato de amônio, glicerina e agentes derivados de gorduras, como a manteiga de karité. Isso porque eles repõem a camada lipídica e criam uma barreira protetora evitando a perda de água e mantendo a pele hidratada.
Água Termal
Peles secas são especialmente beneficiadas pelo badalado cosmético, pois nele existem sais minerais e substâncias que hidratam e acalmam a irritação e a aspereza. “Além disso, alivia ardência após exposição solar”, conta Letícia.
Proteção
Deve ser feita diariamente e de preferência com produtos em formato de creme, tornando a pele mais agradável ao toque após a aplicação. “Durante exposição solar prolongada, o protetor deve ser reaplicado a cada duas horas, e no dia a dia, a reaplicação deve ser feita de duas a três vezes: pela manhã, por volta da hora do almoço, e no meio da tarde”, explica Tatiana.
O que evitar
Banhos excessivos são prejudiciais para a pele seca. “Se for necessário um segundo banho, ele deve ser feito apenas com água, sem o uso de sabonete em toda a pele, reservando-o para axilas, partes íntimas e pés”, avalia Tatiana. Durante a ducha, devem ser observados a temperatura da água, sempre morna ou fria, e o uso de óleos ou hidratantes de banho, que agem como barreira para evitar a desidratação. 
Já a esfoliação não deve ser realizada com frequência, pois agride a pele e a deixa ainda mais frágil, devido à remoção da pouca proteção natural, além de facilitar a perda de água. “Se o procedimento for necessário, deve ser sempre seguido de um cuidado extra com a hidratação feita com produtos especiais”, completa a dermatologista.
Agência Hélice
Terra