segunda-feira, 2 de junho de 2014

O amor e suas mentiras

Adriana de Araújo

Descubra e entenda o que há por trás das mentiras que eles e elas contam nos relacionamentos

"Querida, você está linda nesse vestido!"
"Hoje não, meu bem, estou com dor de cabeça."
"Ela é só uma amiga do trabalho, não se preocupe."                                                                                              



Atire a primeira pedra aquele que nunca mentiu, seja por amor ou até mesmo em benefício próprio. A mentira é tão antiga e comum que ganhou até um dia só pra ela, o 1º de Abril. Mas a grande verdade é que ninguém gosta de descobrir que o outro mentiu, por mais nobres que tenham sido as intenções. E se o assunto é relacionamentos amorosos, aí mesmo que a mentira não é bem-vinda. Ela gera discórdia, causa brigas e pode até colocar um ponto final em um casamento. Entenda o que leva uma pessoa a mentir e as consequências da mentira nos relacionamentos.


Quando contamos uma mentira, estamos assumindo que dizer a verdade nos traria consequências. Segundo o psicólogo e terapeuta de casais Fábio Caló, "uma das coisas que levantamos como possibilidade da mentira é a consequência programada de alguma verdade que se diga. Ou seja, contamos a mentira para evitar punição. Ela também pode ser usada para nos esquivarmos de consequências negativas de nossos hábitos ou, ainda, obter algum benefício ou consequência positiva. Sempre que existir uma relação que preveja alguma responsabilidade ou cumprimento de um rito, existe a possibilidade da mentira".

Apesar de parecer contraditório, a mentira pode nascer do medo de ouvir certas verdades que nos incomodam. A psicóloga e escritora Adriana de Araujo explica que "A ideia vem que de que a mentira normalmente é mais doce e bem colocada do que certas verdades. Nem todos sabem 






como realmente dizer a verdade de forma a ser bem aceita. E, com isso, saber dizer a verdade com maestria é a chave da boa comunicação. Quem consegue falar o que pensa e contar a verdade de forma precisa, com educação e, principalmente, usando uma linguagem que o interlocutor é capaz de compreender, tem sucesso. Além disso, uma mentira pode trazer consequências, e, à medida que envelhecemos e adquirimos responsabilidade pelo que dissemos, uma mentirinha de nada pode trazer grandes prejuízos".

Nos relacionamentos amorosos, onde a base é a confiança, a mentira pode adquirir um peso maior. De acordo com Fábio, "algumas mentiras não têm intenção ou propósito ruim. Vêm com intenção positiva de abrandar ou diminuir o impacto da verdade. No entanto, é importante pensar nas consequências de uma mentira, especialmente no ambiente conjugal. Uma das coisas que a gente entende com relação à mentira conjugal é que, por mais que seja contada para reduzir o impacto da verdade, pode reduzir também os laços de confiança e reacender uma série de questões passadas. A mentira faz parte das relações, das interações, mas é sempre bom considerar a verdade e as possíveis consequências da mentira. A relação conjugal é muito delicada".


Entre homens e mulheres, eles realmente ganham a fama de serem mais mentirosos. Para Adriana, "não tem quem minta mais, porém os homens têm fama de serem mais mentirosos que as mulheres. De fato, os homens procuram evitar confrontos a qualquer custo, nem que isso, às vezes, exija o uso de uma mentira para se afastar de uma boa discussão. Homens, de modo geral, falam menos que as mulheres e tendem a simplificar as coisas na hora de se expressar, e, com isso, a mentira pode vir a calhar. Mas, como já disse, a comunicação é uma arte. Saber se expressar bem sem precisar mentir é sucesso garantido". Fábio ainda coloca que "enquanto 67% deles se declaram infiéis, apenas 46% delas admitem trair. Não sabemos se eles falaram a verdade, mas eu acredito que essa diferença esteja diminuindo cada vez mais

Saiba mais sobre sua saúde.    Fonte: Minha Saúde Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário