segunda-feira, 7 de julho de 2014

A verdade sobre os óculos escuros







Dr. Wilson Rondó Jr.


Qualquer pessoa mais esclarecida sabe da necessidade de proteção contra os lesivos raios UV. Porém, o que muitos esquecem, é de uma parte muito importante: os seus olhos. Obviamente você não pode passar protetor solar neles, mas pode usar óculos escuros para protegê-los.

A exposição inadequada dos olhos ao excesso de sol pode causar sérios problemas. Dê só uma olhada nessas informações:

A própria pele em volta dos olhos, extremamente fina, altamente sensível é muito vulnerável às rugas e manchas de envelhecimento por exposição excessiva aos raios solares ultravioleta (UV). Além disso, o seu olho pode também ser lesado por muita exposição ao sol.

As sua conjuntivas, fina membrana que cobre a parte branca do olhos, podem ficar inflamadas ou irritadas, o que pode interferir na sua visão.

A mácula, parte da sua retina, pode ficar deteriorada, levando à degeneração macular, a causa mais comum de cegueira.
A iris, se você tem olhos claros, tem maior susceptibilidade de lesão pelos raios UV, incluindo degeneração macular.
Com relação às lentes, a luz UV pode estimular o desenvolvimento de certos tipos de cataratas, que compromete a sua visão.

Nas córneas, no caso de excesso de sol, pode causar dores e até cegueira temporária. Pode também levar a catarata por excessiva exposição ao sol.

Além disso, certas medicações podem causar aumento de sensibilidade ao sol, como por exemplo certos diuréticos, contraceptivos, tranquilizantes, tetraciclina e sulfas.

E sabe o que é pior? As pessoas não sabem escolher um óculos escuro seguro.

Quando você precisa de boa proteção para os seus olhos nem todos os óculos escuros são criados iguais, você pode se basear em preço, marca, modismo, mas normalmente esquece o principal: sua função.

Veja algumas dicas para escolher um óculos de qualidade:

1 – Proteção UV – procure na etiqueta que tenha 99% ou 100% de absorção UV ou UV 400 o que significa que essas lentes bloqueiam comprimentos de onda menores que 400 nm/0, que inclui todos os raios UVA e UVB. Se a etiqueta só diz absorve UV, não vai servir para você !

2 – Polarizada – não confunda polarizada com proteção solar adicionada. Lentes polarizadas não têm nenhuma vantagem em termos de absorção de UV. O que eles fazem é clarear a visão enquanto dirige ou na água.

3 – Cor das lentes – você não precisa escolher a mais escura da loja para ter a melhor proteção. Muitas variações de tons podem funcionar bem, como a cinza, verde, amarela, marrom ou rosa. Isso depende da sua preferência. Algumas cores podem ser muito úteis para certos momentos, como a verde, que é boa pela manhã e ao entardecer.

4 – Material das lentes – a qualidade das lentes deve ser vista por apresentarem pouca distorção, enquanto que as mais baratas são frequentemente feitas de plástico prensado. Como checar essa diferença? Quando experimentar um óculos, procure olhar para os lados, direito e esquerdo, e observe se há alguma distorção.

5 – Armação – as armações maiores conferem maior proteção para os olhos, além de prevenirem a maior evaporação da camada natural de lágrima dos olhos.
Uma recomendação importante é em relação as crianças, pois a luz UV chega na retina delas com mais facilidade do que para os adultos, portanto escolha com muito cuidado os óculos para crianças.

Vale lembrar também que no caso de se usar câmaras de bronzeamento é imperativo usar óculos protetores específicos, pois só fechar os olhos não adianta muito.

Evite também olhar para o sol, independente da proteção ocular que esteja usando, especialmente durante um eclipse, pois isso pode comprometer seriamente a sua visão.

Saiba mais sobre sua saúdeFonte: Minha Saúde Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário