terça-feira, 29 de julho de 2014

Digestão, Insônia e Ansiedade



Adriana Splendore

Vamos falar sobre digestão, insônia e ansiedade e voces vão perguntar o que uma coisa tem a ver com a outra ? Tudo.

A digestão começa pela boca, mastigar bem os alimentos,  na filosofia da macrobiótica eles orientam  que devemos mastigar umas 30 vezes antes de engolir, até transformar o alimento numa pasta,  triturar e  envolver o bolo alimentar  com a saliva  que ira ajudar a  futura ação das enzimas que fazem a digestão. Quando comemos com calma damos tempo para o organismo absorver os nutrientes. Mas o  dia-a-dia corrido, leva as pessoas a trazerem a correria para a mesa.

 Sem mastigar direito, o estômago e o intestino ficarão sobrecarregados e com dificuldade para absorverem os nutrientes  essenciais, como o mineral Zinco por exemplo, responsável pelas nossas defesas imunológicas.








Mas se observarmos nossa mastigação veremos que ela é normalmente rápida, e os ansiosos pior ainda, tive um cliente que disse que mastigava apenas 3 vezes e já engolia o alimento. Outros comem compulsivamente sem sequer saborear o gosto, e quem come rápido, ao fim da refeição, sente-se empanturrado, aquela sensação de estufamento. Resultado: pessoas que não mastigam direito podem ter problemas de gases, abdome estendido e dificuldade para evacuar.

Todo hábito compulsivo é rápido. Comer rápido, sem respirar, faz com que o organismo não tenha como assimilar adequadamente o que está ingerindo, e a conseqüência disso é o acúmulo de gordura. 

Comer com calma, mastigando bem, percebendo os sabores, isso é saudável, e é na superfície da língua  que existem dezenas de papilas gustativas, cujas células sensoriais percebem os cinco sabores : doce, azedo,picante, salgado e amargo, engoliu, acabou o prazer.

Comer  por compulsão, não dá tempo de sentir saciedade, justamente porque mal mastiga  e já engole, come um pacote inteiro de bolacha num segundo, e depois se sente culpada por ter cometido esse ato de auto destruição. 

Quem come rápido e é ansioso tem uma tendência a ter esofagite que é uma inflamação da mucosa do esôfago causada, na maioria das vezes, por refluxo de ácidos. São vários os fatores podem piorar os sintomas de refluxo.

Fumar e tomar café contribuem de forma importante para a irritação e devem ser evitados. Além disso, cuidado com frutas e sucos ácidos (tais como de tomate, laranja, abacaxi) tem gente que come  abacaxi e logo depois aparecem aftas na boca.



                                imagem Google

Tudo o que entra no seu estômago é misturado com as enzimas, substâncias químicas que quebram o alimento, não temos dentes no estômago, por isso quem não mastigou direito vai ter que produzir mais ácidos para conseguir digerir.

  Esta mistura passa do estômago para os intestinos, onde os nutrientes são absolvidos. Os nutrientes que são as vitaminas, minerais, proteínas,  são transportados pelo seu corpo para as células onde serão utilizados ou armazenados. As substâncias dos alimentos que não são absorvidos serão eliminados pelo intestino. Intestino não é causa é conseqüência da sua digestão, só que se seu intestino estiver preguiçoso toda essa digestão também será mais lenta.

Nossa alimentação influi em muitos aspectos de nossa vida. A função do nosso intestino, se mal feita, pode causar sonolência, problemas de pele como acne, olheiras, sem contar na constipação intestinal e gordura localizada, que aterroriza nós mulheres em especial.

Não beber nada nas refeições, é importante porque o líquido, dilui o ácido clorídrico, fundamental para o processo digestivo. O ideal é não beber nada meia hora antes e meia hora depois de comer. Porém, durante o dia é preciso ingerir muito líquido, em especial, água.

Nossa digestão está ligada a qualidade do sono, e uma noite bem dormida tem um enorme impacto sobre a nossa vida diária. Um sono deficiente ou desordenado poderá afetar o trabalho e a concentração. Durante o sono, corpo e mente se recuperam, fazendo com que as pessoas se sintam descansadas pela manhã. 

 Nossa alimentação influencia totalmente no processo do sono, tanto sentir fome, quanto comer em demasia podem atrapalhar o sono e causar desconforto e insônia. A insônia é caracterizada pela incapacidade de pegar no sono.

 A pessoa quando está agitada, não  consegue relaxar,  deita e demora para dormir,  ou acorda no meio da noite  e não dorme mais. A insônia pode ser resultado de ansiedade, depressão, estresse ou pode ser de causa patológica,  de alguma doença como um hipotiroidismo por exemplo. Superar a verdadeira causa destes distúrbios é essencial para melhorar a qualidade do sono, mas é importante observar a nutrição e os hábitos diários.

A pessoa que dorme mal, vive mal. O sono medíocre é um dos fatores agravantes do estresse e da ansiedade no mundo moderno.  O ansioso, dorme mal por ter a mente agitada e come excessivamente como se a comida fosse acabar a qualquer momento, numa tentativa de compensar sua insatisfação.

E como é a emoção de quem come rápido? Normalmente  está sempre afobado, esbaforido, não consegue dormir, já acorda cansado de pavio curto, irritadinho, cobranças exageradas, pensamentos obsessivos que ficam consumindo a mente.

O monstro da ansiedade consumindo você por dentro, roubando sua paz , sua capacidade de realizar as coisas, de ter auto estima, de se sentir capaz e seguro para fazer as mudanças.

Isso precisa de tratamento tanto quanto a mudança na alimentação, e não adianta protelar porque os problemas começam a se acumular e isso não tem fim, a ansiedade está de mãos dadas com o medo, e com sabotagens que você mesmo faz.

Aprender a comer direito, a pensar direito, a sentir direito,  mudando realmente seu estado interno, é fundamental. Respire e observe os sinais que a vida está te mandando nesse momento, quais as sincronicidades que estão acontecendo agora, são boas, são negativas e seus pensamentos estão tranqüilos ou também são negativos?

 Lembre-se somos co criadores da nossa realidade,  o que você está criando para você neste momento?

Saiba mais sobre sua saúde.   Fonte: Minha Saúde Online  

Nenhum comentário:

Postar um comentário