terça-feira, 1 de julho de 2014

Dor no quadril e coluna






 Lafayette Lage

O quadril é a articulação que une a coxa com a bacia. Ela composta do encaixe da cabeça do fêmur com o osso da pelve ou bacia. A cabeça do fêmur deve ser esférica e estar com um encaixe perfeito com a bacia. Qualquer mínima deformidade ou imperfeição neste encaixe irá levar a um desgaste precoce da cartilagem da articulação do quadril. Esse desgaste precoce é a artrose. Como a cartilagem não é inervada geralmente a pessoa que tem artrose do quadril não tem dor inicialmente. Ela começa a notar que os movimentos daquela articulação são um pouco mais limitados ou as outras pessoas falam para ela que ela esta mancando, pois normalmente, quem começa a mancar não percebe. 
 
Existem estruturas inervadas no quadril que ao serem lesadas, seja por trauma no esporte ou por uma queda com as pernas abertas, por exemplo, as quais acarretam dor geralmente na virilha, região glútea, região lombar e, até mesmo no joelho e perna.  Nestes casos a dor pode surgir sem estar associada a uma artrose, Mesmo assim, essa dor deve ser investigada e sua causa deve ser tratada. 





As pequenas dores no quadril, região lombrar, glútea ou menbros inferiores nunca devem ser menosprezadas
   
A dor é um sinal de alarme. É sinal que algo está errado. Os outros sinais indolores citados anteriormente (mancar e limitação de movimentos) também são sinais de alarme que geralmente as pessoas ignoram. 
 
Os conhecimentos das causas desses sinais indiretos entre os cirurgiões de quadril irão se propagar cada vez mais nos próximos anos. A cirurgia do quadril sofreu uma verdadeira revolução com a introdução da artroscopia do quadril na década de 90. 

Após 2005 esses conhecimentos têm se propagado cada vez entre os cirurgiões de quadril. A artrose idiopática ou também chamada artrose com causa desconhecida está com seus dias contados. A boa noticia é que estamos no caminho certo isto é, estes conhecimentos trouxeram ao mesmo tempo soluções. Isto significa que se conseguimos diagnosticar precocemente uma artrose do quadril, poderemos fazer as devidas correções cirúrgicas para aperfeiçoar o encaixe da cabeça do fêmur com ao acetábulo ou bacia e, se conseguirmos tornar a cabeça do fêmur esférica novamente e ou acertar as irregularidades do acetábulo (este encaixe é semelhante a uma bola e um soquete perfeitos), talvez possamos evitar a progressão da artrose do quadril evitando uma prótese no futuro. Isto significa que provavelmente conseguiremos salvar este quadril, uma pessoa de muito sofrimento, e poderemos até evitar uma prótese ou muitas próteses economizando muito para o País. Digo provavelmente pois somente o tempo dirá visto que estas técnicas de osteoplastia ou de correção destas deformidades começarm a ser feitas há pouco tempo. Uma coisa é certa: - quanto antes identificarmos o problema e corrigirmos o mesmo, melhor serão nossas chances de salvar este quadril. 
 



Esse conhecimento apesar de novo no meio médico deve também ser conhecido pelo público leigo e profissionais médicos como o clinico geral, reumatologistas, fisiatras, profissionais da saúde como fisioterapeutas, professores de educação física etc... os quais, por sua vez, devem divulgar este tipo de informação. Enquanto não houver uma consciência da gravidade e o alto custo que uma artrose do quadril pode levar, continuaremos tratando problemas graves, deixando jovens sofrerem por muitos anos até que o sistema público ou privado resolva, temporariamente o problema deste jovem que pode ter de 20 a 60 anos, pois uma prótese tem uma vida útil. 
 Quadro clínico e tratamento        
 
Devemos sempre lembrar que a dor é um sinal de alarme. É sinal que algo está errado. Temos insistido em falar sobre o choque causado pela deformidade adquirida ou não da cabeça do fêmur contra o acetábulo levando também a uma lesão do labrum acetabular, o verdadeiro menisco do quadril. Os sintomas desta síndrome reconhecida recentemente são: 

Dor intermitente na virilha
Dor em posições prolongadas como sentar e dirigir
Subir escadas
Cruzar a perna afetada sobre a outra
Dor na face lateral do quadril
Dor na região glutea enquando dormem (muito confundida com dor de origem ciática) e necessitam de travesseiros entre as pernas para dormir melhor
 
Se a pessoa tem um ou mais destes sintomas ela deve procurar um ortopedista especialista em cirurgia do quadril. Pode não ser nada grave, mas o velho ditado “melhor prevenir do que remediar” se encaixa como uma luva na medicina como em tudo na vida. O especialista será capaz de identificar se existe um “quadril em risco” ou não. E se o quadril já apresenta os primeiros sinais de desgaste com uma artrose inicial? O que fazer? 




Emagrecer se você estiver acima do peso – as articulações do quadril, joelho e tornozelos suportam todo o nosso peso e qualquer excesso de peso sobrecarregará uma articulação que já não esta bem. Como emagrecer necessita tempo e muita força de vontade você pode de imediato adotar uma bengala que deve ser usada no lado oposto ao afetado (por exemplo, se o quadril direito dói, use a bengala na mão esquerda. Toda a vez que tocar o calcanhar direito no chão toque a bengala esquerda e transfira parte de seu peso para ela – uma bengala bem utilizada chega a absorver 80% do peso de uma pessoa, poupando muito o quadril ou joelho afetados).
 
Diminuir as atividades esportivas terrestres – se você gosta de jogar tênis, futebol, basquete, voleibol, peteca ou ate mesmo andar, pense em adotar a natação como seu esporte principal, sua higiene mental, mesmo que você não saiba nadar, aprenda, pois essa mudança de comportamento poderá realmente salvar seu quadril ou pelo menos poupá-lo postergando uma prótese por muitos e muitos anos.
 
Use calçados macios e confortáveis, preferencialmente tênis ou os sapa tênis e dentro deles coloque um par de calcanheiras de silicone as quais são ótimas para absorver o impacto. No caso de usar sandálias, existem no mercado muitos modelos de sandálias de praia que altamente absorvedoras de impacto. Estas são facilmente encontradas em lojas de jovens e que vendem materiais para surfistas. Para saber se o solado é bom basta apertar o local onde o calcanhar ira se apoiar e verificar se o mesmo é macio, isto é, se afunda com facilidade. 
 
Fortalecer seus músculos – o fortalecimento muscular orientado por ortopedista juntamente com o fisioterapeuta ou mesmo o médico fisiatra deverá ser feito diariamente para amortecer o impacto sobre as articulações dos membros inferiores.
 
Aplicação de gelo sobre a articulação afetada é um excelente anti-inflamatório natural e analgésico
Costumo dizer a meus pacientes que nossas articulações podem ser comparadas ao conjunto de suspensão e pneus de nossos carros, ou seja:
 
Peneu - Cartilagem
Amortecedor - Musculatura
Peso do carro - nosso peso 
 
Lembre-se deste exemplo: - se você dirigir de São Paulo a Fortaleza, ida e volta, dez vezes sozinho e com mínima bagagem, seus pneus estarão em bom estado ao final das dez viagens, ao contrário do que ocorreria se você tivesse viajado com amortecedores ruins (= músculos fracos) ou com o carro carregado de pessoas e bagagem (= obesidade). 
 


imagem Google

Dor nas regiões marcadas acima (lombar, quadris, joelho, tornozelos e até calcanhares ) podem indicar problemas no quadril e não necessariamente problema na articulação que dói (é muito comum as pessoas queixarem-se de dor nos joelhos e o problema estar no quadril)! Esta ilustração foi feita por uma paciente minha para descrever suas dores as quais são decorrentes de um problema no quadril. Como achei muito ilustrativa a inseri no capítulo do livro que escrevi para o livro que foi lançado em 2012 pela Springer, uma das maiores editoras de livros médicos do mundo, cujo título  é “ Femoroacetabular impingement”, isto é, impacto fêmoro-acetabular. É o primeiro livro específico sobre este assunto e foi um dos best sellers no congresso da Academia Americana de Ortopedia em São Francisco este ano. Daí a importância desta patologia e o grande avanço nos conhecimentos da mesma.  
 
Outra maneira de você descobrir se alguém ou mesmo você tem problemas nos quadris será através da observação da marcha ou modo de andar. Muitas pessoas que mancam não percebem e, normalmente, ficam sabendo que estão mancando através de outras pessoas que a avisam que ela esta mancando. Se a pessoa manca ela deve procurar um especialista independente de ter ou não dor. 




imagem Google


Outro sinal indireto de artrose do quadril é quando a pessoa tem dificuldade para calçar as meias ou tirar as roupas nos movimentos que necessitam de uma flexão do quadril maior que 90 graus.
 
Ao exame físico notamos uma limitação da rotação interna do quadril. A rotação interna limitada é verificada com a pessoa sentada na beira de uma mesa e a outra tenta empurrar seu pé para fora rodando o fêmur internamente. O normal de rotação interna é cerca de 25 graus. Se um pé vai para fora mais que o outro é sinal que algo esta errado mesmo que não tenha dor devendo, mais uma vez procurar um especialista. 
 
Apesar de este assunto parecer muito técnico, você pode fazer a diferença sabendo reconhecer precocemente um quadril em risco. Faça a sua parte e ensine aos outros o que aprendeu aqui. Você poderá fazer a diferença.      Saiba mais sobre sua saúdeFonte: Minha Saúde Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário