domingo, 26 de outubro de 2014

7 razões que fazem pessoas ficarem em relacionamentos ruins

Por: dicasdemulher

Descubra que superar uma separação é possível e muito melhor do que se condenar a permanecer em um relacionamento infeliz

Foto: Thinkstock

De repente, o encanto se perdeu, a magia se acabou e todas aquelas juras de amor eterno, a admiração e até o respeito deixaram de fazer sentido. Para muitas pessoas, esses são os sintomas mais evidentes que precedem o fim de um relacionamento, mas para outras é apenas o início de uma nova fase, difícil de aceitar e que, com o passar do tempo, vai se revelar amarga, cinza e infeliz.
Manter-se em um namoro ou casamento esgotados pode ter consequências desastrosas, mesmo assim muita gente insiste em se arrastar em uma relação fadada ao fracasso. Conheça os principais motivos e descubra que o fim pode ser o início de um novo começo.

1 – Os filhos

Embora seja de conhecimento de todos a máxima que afirma que filhos não seguram relacionamentos, muitos casais abdicam da própria felicidade em nome do bem estar dos filhos e evitam se separar para não causar traumas e sofrimentos. De fato, as crianças devem ser preservadas de todas as crises que fazem parte de qualquer relacionamento, mas é preciso ver até que ponto elas não estão sendo usadas como pretexto para não tomar uma decisão iminente.
Dependendo da idade e da personalidade da criança, uma separação pode ser traumática, mas o fundamental é que os filhos entendam que a relação entre eles e os pais são laços eternos.

Crianças sentem tudo o que acontece à sua volta e crescer em um ambiente onde a infelicidade e as brigas imperam podem refletir negativamente em seu desenvolvimento, por isso tenha sempre em mente que as crianças um dia crescerão e da mesma maneira que pais querem ver os filhos felizes, filhos desejam a felicidade dos pais acima de tudo.

2 – Dependência financeira

Ao se casarem, muitas mulheres abrem mão da vida profissional para se dedicar com maior afinco à casa, ao marido e principalmente aos filhos. Conciliar tantas responsabilidades não é fácil, o que leva as mulheres a cuidarem exclusivamente da administração da casa e o homem passa a atuar como o provedor, bem como antigamente.
O conflito começa a acontecer quando a mulher não se vê satisfeita com sua relação e por estar fora do mercado de trabalho há muito tempo, não tem como sustentar-se nem manter o mesmo padrão de vida para si e para os filhos. É quando se vê totalmente dependente do marido e obrigada a resignar-se.
Neste caso, é importante avaliar se essa zona de conforto é tão confortável assim ao ponto de fazer abrir mão de um futuro melhor, independente e feliz.

3 – Comodismo

O comodismo é um dos principais motivos para manter-se em um relacionamento ruim. A pessoa se acostuma com a situação em que se encontra, acha que não vale a pena tomar nenhuma atitude e desiste de fazer qualquer coisa para melhorar a relação, pois acredita que nada funciona.
A realidade é que acostumar-se fora de um relacionamento ruim, na maioria das vezes, é muito mais fácil e prazeroso do que se acostumar dentro dele. Pode até levar um tempo, mas vivenciar a experiência de uma separação após um relacionamento sem sucesso pode ter um saldo positivo e fundamental para que a pessoa evolua como ser humano.

4 – Esperança de mudança

Um dia você foi dormir com um príncipe e no outro dia ele já não estava mais lá. Existem mulheres que passam anos esperando que esse príncipe volte, se é que ele algum dia tenha existido em outro lugar além de sua própria imaginação.
A constatação de que aquele homem maravilhoso só era visto pelos olhos de uma paixão que já não existe mais pode ser duro, mas admitir que fez uma escolha errada pode ser mais fácil e satisfatório do que permanecer em uma relação onde nenhuma das partes tem nada de bom a oferecer ao outro. Todos sabem que terminar um relacionamento não é fácil, mas o quanto antes você reconhecer o que está acontecendo e tomar o controle, menor será o sofrimento.

5 – Culpa

Muitas mulheres chamam para si a responsabilidade do desgaste do namoro ou do casamento e se questionam inúmeras vezes para descobrir onde é que erraram, em que momento deixaram a chama apagar, por qual motivo aquele homem tão apaixonado já não a olha como antes. Como dificilmente encontram uma resposta plausível para tais questões, sentem-se culpadas e persistem no relacionamento.
Não há como encontrar a culpa pelo fim natural de um relacionamento. Da mesma maneira que ele é construído a dois, ele pode ser desconstruído pelas duas partes, sem que nenhum dos dois tenha desejado ou pensado nisso.
Mudanças fazem parte do ciclo natural da vida, conformar-se com o sofrimento não. Ao invés de sofrer com culpa, que tal encarar a realidade e enfrentar o problema para que mais tarde não sinta culpa por ter perdido um tempo muito grande da vida sendo infeliz?

6 – Medo de ficar sozinha

Ninguém entra em um relacionamento contando que um dia ele acabará, mas todos trabalham, saem, criam círculos de relacionamento do qual o parceiro não faz parte, o que faz com que ninguém fique livre de encontrar uma nova paixão.
Muitas mulheres olham a separação como um passo em direção a um futuro solitário, mas aceitar prosseguir em um relacionamento sem amor e, às vezes até com traição pode ser mais assustador que recomeçar do zero.
E é aí que mora o desafio: aceitar que cada pessoa tem sua própria vida e a responsabilidade de ser feliz. Em determinadas situações, ficar sozinha durante um tempo pode ser a melhor das companhias, capaz de fazer você entender que tudo aquilo que foi vivido e compartilhado foi lindo, mas não existe mais e que você precisa ter os seus próprios sonhos, um caminho só seu para seguir com as suas próprias pernas e, principalmente, a encontrar o seu objetivo de vida, que seja qual for, tem que ter felicidade.

7 – Baixa autoestima

“Quem é que vai se interessar por uma mulher separada?”, “Já não sei me relacionar com outro homem”, “Sozinha eu não consigo”, “Se apaixonar a essa altura do campeonato é ridículo”. Esses são apenas alguns dos medos que fazem mulheres insistirem em ficar atadas a um relacionamento infeliz. A baixa autoestima nunca foi boa companhia, por isso é indispensável lembrar-se de que um dia a mulher que hoje não se enxerga já foi independente, apaixonante e de bem com a vida.
Para se lembrar disso, vale tudo: encontre aqueles velhos amigos com os quais perdeu o contato porque ele não gostava, volte a fazer as coisas que fazia antes do casamento, desenvolva a autoestima, não fique parada, faça novos amigos, entre na academia, programe uma viagem. Se for o caso, procure um psicoterapeuta para trabalhar a questão da insegurança.
Socialize-se e perceba que a melhor companhia para você e para qualquer pessoa é alguém que se ama e se valoriza.
Viver fazendo de tudo para ver o outro feliz é ótimo, mas sozinha ou acompanhada, coloque a sua felicidade sempre no topo da lista. No fundo, no fundo, estar bem resolvida com você é o que te habilita a entrar e permanecer bem em qualquer tipo de relacionamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário