sábado, 13 de dezembro de 2014

Conheça os perigos de raspar os seus Pelos Pubianos

Dr. Rondó



Dr. Rondó

Uma pesquisa realizada com alunos de uma faculdade dos Estados Unidos apontou que grande parte dos jovens tem o costume de remover os pelos pubianos. E essa é uma realidade que está presente na vida de uma porção considerável da população e que pode ter raízes muito antigas. Estima-se que as mulheres da antiga Grécia, Egito e Roma já tinham esse hábito.
Em tempos modernos, tanto os homens quanto as mulheres usam uma variedade de métodos (lâmina, depilação e lasers) para remover os pelos pubianos e descrevem várias motivações para fazê-lo.
Entre as mulheres, as razões mais populares incluem a crença de que elas ficam mais bonitas em trajes de banho, que há o aumento da sensação de atratividade, e é mais confortável e higiênico.
Ironicamente, esta última razão é uma contradição, já que há pesquisas recentes que sugerem que raspar os pelos pubianos pode, na verdade, aumentar o risco de contrair uma doença sexualmente transmissível (DST) conhecida como molusco contagioso.

O que é molusco contagioso?

Apesar da sua prevalência, o molusco contagioso é uma das DSTs menos conhecidas. Sendo um tipo de vírus da varíola, o molusco é na verdade mais comum em crianças, embora também afete adultos com sistemas imunes enfraquecidos e pode ser transmitido pelo contato sexual.
O vírus causa nódulos duros na pele, parecidos com pérolas, e que podem facilmente, embora indolores, se tornarem vermelhos e inflamados.
Se estes nódulos forem coçados, a infecção se espalha facilmente de pessoa para pessoa, bem como através de objetos contaminados.  Raspar por cima dos nódulos pode também causar a disseminação do vírus.  Na maioria dos casos, a infecção desaparece entre 6 e 12 meses sem tratamento, então a manutenção de um sistema imunológico forte é extremamente importante.

O risco viral de raspar os pelos pubianos

Tanto a raspagem quanto depilação podem causar irritação e microtraumas à sua pele que aumentam o seu risco de contrair uma infecção viral. O que se observa é que o número de casos de molusco contagioso tem crescido junto com as taxas de remoção de pelos pubianos.
Para pesquisar a ligação, os cientistas observaram 30 pacientes de uma clínica particular de cuidados com a pele em Nice, na França, todos infectados com o vírus do molusco contagioso.  Quase todos tinham removido os pelos pubianos; a vasta maioria com raspagem, seguido de depilação com cera.
O achado apoia a teoria dos pesquisadores de que os genitais sem pelos podem fornecer uma oportunidade para doenças sexualmente transmissíveis se instalarem, tendo com a raspagem uma associação mais forte.
O molusco contagioso é facilmente espalhado, principalmente através da auto-infecção causada pelo ato de coçar a pele irritada pela raspagem.
Outros problemas de pele também foram notados nos participantes do estudo que igualmente podem ser relacionados à remoção dos pelos pubianos.  Estes incluíam:
- verrugas (os pesquisadores sugeriram que raspar o pelos pubianos pode também aumentar o risco de verrugas genitais causadas pelo papilomavírus humano - HPV);
- infecções bacterianas da pele;
- cicatrizes;
- pelos encravados.
Por isso, tome muito cuidado ao realizar qualquer procedimento para remoção do pelo pubiano. Lembre-se que a sua saúde deve vir em primeiro lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário